Intel acelera a inovação de soluções para a condução autônoma

Por Riccardo Mariani*

Ao longo do último meio século, o mercado de sistemas embarcados se desenvolveu a uma taxa fenomenal para se tornar uma das áreas mais inovadoras da tecnologia. A Internet das Coisas (IoT) ajuda a tornar tudo a nossa volta mais inteligente conectado: de carros a máquinas de café,  robôs industriais, salas de conferência e pontos de venda.

Na Intel, estamos focados em criar plataformas mais seguras e expansíveis para ajudar nossos clientes a se aproveitarem das oportunidades de crescimento e ajudá-los a resolverem os desafios, na medida que eles buscam fomentar a eficiência por meio da automação. A nossa subsidiária Wind River é uma das principais integrantes deste mercado, fornecendo software para ajudar as principais indústrias a evoluírem de uma infraestrutura antiga, aumentando a eficiência, a segurança e a confiabilidade. Os segmentos automotivo e de manufatura são áreas específicas onde a IoT está acelerando a transformação.

Mas afinal, o que isso significa? O transporte local se tornará mais seguro e mais eficiente à medida que os carros sem motoristas trafegarem mais rapidamente, enquanto os passageiros trabalham em outras coisas. Os locais de trabalho se tornarão mais seguros e os trabalhadores mais produtivos conforme a inteligência artificial, a aprendizagem de máquina e outras ferramentas orientadas aos detalhes melhoram o desempenho das fábricas.

O papel da Intel neste futuro esteve em exposição entre os dias 14 e 16 de março no Embedded World 2017 em Nuremberg, Alemanha.

Levando carros autônomos ao mercado

Os fabricantes de carros há muito tempo integram dispositivos embarcados em seus veículos para melhorar a segurança do motorista. Entre em qualquer showroom e você terá a opção de escolher um carro novo com um Sistema Avançado de Assistência ao Motorista (ADAS, na sigla em inglês). Os fabricantes de carros fornecem recursos como detecção de colisão, cruise control, estacionamento automático, detecção de sonolência, entre outros. O próximo passo lógico para a indústria automobilística é levar os carros autônomos ao mercado, uma área na qual os maiores players da indústria automotiva, como a BMW, tentam liderar. Não há dúvidas de que os carros autônomos serão uma das tecnologias mais inovadoras do século XXI. Os carros sem motoristas melhorarão a eficiência do fluxo do trânsito, a produtividade dos passageiros e diminuirão a poluição ao reduzirem drasticamente o consumo de energia. E ainda mais importante, os veículos autônomos transformarão completamente a segurança nas nossas ruas. Ocorrem, aproximadamente, 1,2 milhão de mortes relacionadas com o trânsito em todo o mundo anualmente, de acordo com a Organização Mundial da Saúde.

Pesquisadores indicam que os carros autônomos poderiam reduzir as taxas de acidentes em até 90%, potencialmente salvando 10 milhões de vidas por década.

Para cumprir esta promessa, os carros autônomos precisarão de tecnologias de hardware, software e rede – do carro à nuvem – para fornecer níveis sem precedentes de confiabilidade, disponibilidade, segurança e funcionalidade. A área da segurança é extremamente importante, sendo o ponto crucial da ISO 26262, o padrão internacional que impulsiona o segmento automotivo.

Os passageiros precisarão confiar suas vidas à inteligência artificial (AI) que está pilotando o carro. Para minimizar o risco de acidentes, os fabricantes de carros precisarão garantir que os veículos autônomos sejam capazes de se comunicar uns com os outros, reconhecendo seus entornos, se adaptando a condições climáticas desafiadoras, recebendo atualizações em tempo real dos mapas e bloqueando os ataques cibernéticos. Tudo isso exigirá imensos volumes de processamento e gerará um volume sem precedentes de dados (4.000 gigabytes por carro todos os dias).

Gerenciar esse dilúvio de dados exigirá conectividade 5G e uma robusta infraestrutura de data center. Isso só poderá ser conseguido com a colaboração da indústria entre provedores de telecomunicações, empresas de tecnologia e fabricantes de carros.

Na Intel, sempre priorizamos a formação de parcerias e o estabelecimento de robustos padrões da indústria para liderar o caminho. Para fornecer aos fabricantes building blocks abrangentes levando sistemas de condução automatizados mais seguros ao mercado, lançamos a plataforma Intel® GO™.

Esta solução suporta uma variedade de arquiteturas, das unidades de processamento central (CPUs) tradicionais aos filed-programmable gate arrays (FPGAs) e tecnologia de aceleração de hardware para aprendizagem profunda. E ainda mais importante, a Solução de Condução Automatizada Intel® GO™ conta com suporte embarcado para recursos de segurança funcionais, segurança multicamadas e a primeira plataforma de desenvolvimento da indústria pronta para a 5G.

 Projetando o cenário industrial

Muito do trabalho que temos feito na área de carros autônomos também pode ser aplicado ao segmento industrial. AI, aprendizagem de máquina, reconhecimento de imagem, posicionamento preciso, sensores conectados e comunicação entre máquinas podem ser usados para melhorar o desempenho das fábricas. Já estamos vendo a migração rumo a processos automatizados e transporte robótico de materiais, bem como manutenção preditiva e adaptativa – tudo isso impulsionado pelos avanços na computação de alto desempenho, big data e IoT.

Um dos maiores desafios enfrentados pelos fabricantes atualmente é a necessidade de integrar a segurança funcional em sua arquitetura geral de controle e automação. Recentemente revelamos o processador Intel® Xeon™ D-1529. Este processador não só fornece segurança funcional para robótica, sistemas autônomos e controles industriais ao atender a certificação de segurança IEC 61508, mas também fornece alto desempenho de processamento ao mesmo tempo em que garante disponibilidade e confiabilidade robustas.

Para ilustrar aplicações reais da nova tecnologia industrial no Embedded World, a Wind River demonstrou um braço robótico com segurança funcional embarcada, que entra em modo de segurança quando um erro no sistema é simulado. Equipado com o sistema operacional VxWorks em tempo real, o braço robótico roda com um processador Intel® Xeon® D-1529. Também foi realizada uma demonstração de automação industrial sobre como os sistemas de controle podem ser virtualizados, resultando na habilidade de manter e atualizar equipamentos existentes nas plantas e adicionar novos recursos tecnológicos, ao mesmo tempo em que amplia a utilização de equipamentos existentes com a plataforma Wind River Helix Device Cloud SaaS e a sua nova plataforma de software de virtualização projetada para avançar a IoT industrial.

A Intel também ilustrou como melhorar o ambiente industrial com a demonstração Exor Smart Factory. Ela simulou uma fábrica inteligente rodando com processadores e FPGAs da Intel, e como eles podem ser usados para criar o ambiente IoT altamente automatizado, necessário para modernas corporações industriais. Os FPGAs ajudam o processador da Intel em três áreas: aceleração de algoritmos-chave para análise de dados e aprendizagem de máquina, fornecimento de hardware runtime configurável para Automação Definida por Software e o oferecimento da habilidade de adicionar funções como aceleração, descarga e segurança, mesmo após os FPGAs serem instalados na fábrica.

Estes exemplos dos segmentos automotivo e industrial são apenas um resumo de como os sistemas embarcados estão transformando indústrias inteiras, com a visionária tecnologia da Intel conectando um vasto ecossistema de empresas. São essas conexões que transformarão o aparentemente surpreendente em status quo.

Embedded World 2017:

O Embedded World 2017 foi realizado entre os dias 14 e 16 de março em Nuremberg, Alemanha. Eu fiz uma palestra sobre a importância da segurança funcional no mercado de carros autônomos e a necessidade de ter robustas estratégias fim a fim.

No estande da Intel, foi possível descobrir como a Intel pode ajudar a estimular e empoderar a criatividade, a imaginação e a inovação por meio de novos hardwares, softwares e ferramentas para desenvolvedores. Ele também contou com um futurístico BMW i8 que demonstrou como a Intel dará vida à condução autônoma com uma variedade de demonstrações de realidade aumentada. No estande da Wind River, foi possível conferir as demonstrações de automação industrial mencionadas anteriormente.

Para mais informações, visite intel.com/iot.

Riccardo Mariani é chefe em segurança funcional do Grupo da Internet das Coisas da Intel Corporation.

The Exor Smart Factory with the help of Intel demonstrates a complete industrial internet of things (IIot) platform capable of crossing multi-vendor, multi-device connectivity, rule and process management, visualization, analytics, database storage and external interfaces. (Credit: Intel Corporation)
The Exor Smart Factory with the help of Intel demonstrates a complete industrial internet of things (IIot) platform capable of crossing multi-vendor, multi-device connectivity, rule and process management, visualization, analytics, database storage and external interfaces. (Credit: Intel Corporation)
The Exor Smart Factory with the help of Intel demonstrates a complete industrial internet of things (IIot) platform capable of crossing multi-vendor, multi-device connectivity, rule and process management, visualization, analytics, database storage and external interfaces. (Credit: Intel Corporation)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *