Microsoft reforça sua visão de Inteligência Artificial em evento em Londres

A visão da Microsoft para a IA (Inteligência Artificial) está ligada às pessoas. Trata-se de ampliar a engenhosidade humana por meio de tecnologia inteligente que irá raciocinar, entender e interagir com as pessoas e, juntamente com as pessoas, nos ajudar a resolver alguns dos desafios mais fundamentais da sociedade. Esta foi a mensagem compartilhada por Harry Shum, Vice-presidente Executivo de IA e do Grupo de Pesquisa da Microsoft, no evento realizado no dia 12 de julho, em Londres.

O evento contou com a participação de cientistas, especialistas em tecnologia e jornalistas, que se reuniram para saber mais sobre as intenções da companhia para a IA de Shum e outros executivos da Microsoft, incluindo Eric Horvitz, membro técnico e Diretor dos Laboratórios de Pesquisa da Microsoft, Chris Bishop, membro técnico e Diretor de Laboratório no Microsoft Research Cambridge, e Emma Williams, Gerente Geral do Bing.

Durante o encontro, foram feitos vários anúncios que reforçaram o foco da Microsoft na IA, incluindo um novo programa que disponibilizará a tecnologia para quem trabalha para enfrentar os problemas ambientais mais difíceis do planeta.

Eric Horvitz, membro técnico e Diretor dos Laboratórios de Pesquisa da Microsoft

O programa AI for Earth (IA para a Terra) oferecerá às organizações não-governamentais e outros grupos acesso a ferramentas e serviços de IA e suporte técnico para que possam abordar de forma mais eficiente e efetiva questões relacionadas à água, agricultura, mudanças climáticas e biodiversidade.

Em muitas partes do mundo, as pessoas têm dificuldade em acessar um suprimento regular de água fresca, limpa e alimentos nutritivos. Cientistas ambientais descobriram que as mudanças nos habitats, do desenvolvimento da terra às mudanças climáticas, estão fazendo com que as espécies morram de 100 a 1.000 vezes mais rápido do que a taxa natural. E essas tendências devem crescer mais e mais.

Para ajudar a abordar questões como essas, a Microsoft anunciou que vai investir mais de 2 milhões de dólares em seu programa no próximo ano. Será em forma de subsídios que possibilitam o acesso a suas ferramentas e plataformas de nuvem e AI, sessões de treinamento sobre tecnologias e outros projetos. O principal cientista ambiental da Microsoft, Lucas Joppa, aproveitou o evento de Londres para compartilhar mais detalhes sobre o programa e as ferramentas disponíveis.

A empresa também anunciou a Microsoft Research AI, um novo centro de pesquisa e incubação da Microsoft Research, para enfrentar os desafios mais difíceis da IA; a exploração de novos princípios e um Guia de Design Ético para IA, o que ajudará os desenvolvedores da Microsoft a tornarem a IA acessível e inclusiva para que os seres humanos possam aproveitar ao máximo as oportunidades que essa tecnologia criará; a disponibilidade do Seeing AI (acima), um novo aplicativo para iOS disponível sem custo adicional para ajudar as pessoas cegas e de baixa visão a aproveitar o poder da IA para abrir o mundo visual, e uma nova parceria com o especialista em aprendizado de máquina Max Welling, da Universidade de Amsterdã.

A Microsoft também apresentou uma série de atualizações para Microsoft Cognitive Services, uma coleção de serviços que permite aos desenvolvedores adicionar facilmente recursos inteligentes – como a detecção de emoções e sentimentos, reconhecimento de visão e fala, conhecimento, pesquisa e compreensão de idiomas – em suas aplicações. As atualizações incluem uma nova API de Pesquisa de Entidades Bing e a disponibilidade do SDK do Project Prague e do Presentation Translator (abaixo), um suplemento do PowerPoint que oferece aos apresentadores a capacidade de adicionar legendas às suas apresentações no mesmo idioma ou em mais de 60 línguas. Essas novas ofertas foram exibidas no palco e em demonstrações práticas no evento, enquanto uma série de clientes que também estavam no local mostraram como estão usando as ferramentas e tecnologias de IA da Microsoft para transformar seus negócios.

Shum disse: “Estamos vivendo uma idade de ouro dos avanços da IA… Nós, como empresa de tecnologia, temos a chance de canalizar todas essas inovações em ferramentas que ajudem as pessoas a fazer seu trabalho melhor e de forma mais eficiente e que resolvam alguns dos desafios mais difíceis do mundo. Usando IA, já estamos encontrando maneiras melhores de fazer coisas tão aparentemente simples, como determinar qual e-mail merece sua atenção, e tão surpreendentemente complexas, como a descoberta de um tratamento personalizado contra o câncer.

“À medida que a tecnologia que usa a IA fica mais inteligente, queremos garantir que tenhamos uma abordagem responsável para o nosso progresso – e que, em última instância, proporcionará o maior benefício para nossos clientes e para a sociedade como um todo.”

A Microsoft é um dos líderes mundiais em inteligência artificial, aprendizado de máquina e computação em nuvem. Desde a criação dos laboratórios de pesquisa da empresa no início da década de 1990, foi pioneira em inovações em visão computacional, reconhecimento de fala, processamento de linguagem natural e aprendizagem de máquina com o objetivo de desenvolver sistemas que antecipam nossas necessidades em vez de responder unicamente aos nossos comandos.

Tudo o que você precisa saber sobre a Microsoft e IA

Esses investimentos compensaram quando a Microsoft celebrou, nesta semana, o 20º aniversário do seu laboratório de pesquisa de Cambridge.

No evento de Londres, Shum enfatizou como a Inteligência Artificial deve ser usada em benefício de todos, enquanto Horvitz discutiu as implicações sociais da IA e o que a Microsoft está fazendo para abordá-las, e Bishop falou sobre a transformação da pesquisa para soluções de IA impactantes para a vida real, especialmente nos cuidados de saúde.

Williams compartilhou seus pontos de vista sobre princípios de design na IA. Ela disse que, considerando que a engenhosidade humana ampliada pela tecnologia inteligente poderia desbloquear o próximo grande salto da humanidade, essa tecnologia deve ser otimizada para as necessidades e desejos das pessoas. É preciso entender as necessidades emocionais e inteligentes das pessoas para garantir que possam se conectar com colegas, familiares e amigos sem interferência de computadores; honrar os valores da sociedade; compreender o contexto e evoluir ao longo do tempo. Com base nos princípios de IA que o CEO da Microsoft, Satya Nadella, compartilhou publicamente no ano passado, a Microsoft está empenhada em explorar uma abordagem consciente para os princípios de design da IA ​​e um Guia de Design Ético para o desenvolvimento de produtos de IA.

Emma Williams, Gerente Geral de Design de Produtos de IA

Os convidados do evento de Londres incluíram a Prism Skylabs (abaixo), uma empresa com sede em São Francisco que conecta as câmeras existentes nas empresas à tecnologia de IA baseada em nuvem e ferramentas de aprendizado de máquina. Seu software, alimentado pelos Serviços Cognitivos da Microsoft, libera informações valiosas de um vídeo que pode ser imediatamente compreendido, compartilhado e levado à ação.

“No passado, implementar a aprendizagem de máquina e a IA por conta própria exigiria uma equipe de PhDs; além disso, haveria o custo do hardware do servidor e a infraestrutura necessária para processar a grande quantidade de informações armazenadas em vídeo bruto de centenas ou até mesmo milhares de câmeras em uma grande organização”, disse Steve Russell, Diretor Executivo.

“Achamos que os Serviços Cognitivos Microsoft era a parte que faltava na equação, a que precisávamos para trazer essa solução ao mercado e realmente revolucionar a forma como as pessoas olham para o vídeo. Não há dinheiro no mundo que possa comprar o valor de ter um líder da indústria como a Microsoft como parceiro tecnológico. Isso é muito animador para nós.”

Chris Bishop, Diretor de Laboratório do Microsoft Research Cambridge e membro técnico

Também participou do evento a empresa de tecnologia Sabre, que está usando o Bot Framework da Microsoft e os Serviços Cognitivos para criar um chatbot de agente de viagens virtual. Os turistas poderão usar o bot para o serviço diário e solicitações de suporte, como a alteração de uma reserva de voo existente, que irá desviar a comunicação para um agente de viagens ao vivo se não for possível cumprir um pedido.

“Os turistas estão à procura de tecnologia para trazer uma experiência mais perfeita, especialmente no que se refere ao gerenciamento de interrupções e mudanças on-the-go“, afirmou Mark McSpadden, Vice-presidente de Tecnologia Emergente e Produtos da Sabre Corporation. “Com a Microsoft, exploraremos o papel que a IA e os chatbots podem ter para oferecer aos viajantes a autonomia que eles querem para solicitações de rotina, enquanto ajudamos fornecedores de viagens a oferecer um serviço mais pessoal para necessidades mais complexas.”

No alto, Harry Shum, Vice-presidente Executivo de Inteligência Artificial e Grupo de Pesquisa da Microsoft, no evento de Londres. Fotos: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *