Tecnologia desenvolvida por startup facilita acesso a exames oftalmológicos

Selecionada pela Samsung-Anprotec no Programa de Promoção da Economia Criativa, de apoio a startups, Phelcom desenvolveu um retinógrafo portátil que funciona a partir de smartphones

 

Realizar exames oftalmológicos a partir de um aparelho celular é uma realidade no Brasil, graças a uma solução lançada pela Phelcom Technologies, empresa assistida pela Supera Incubadora de Empresas de Base Tecnológica, de Ribeirão Preto (SP). A startup é responsável pela criação da SRC – Smart Retinal Camera, uma nova geração de retinógrafos portáteis, e foi uma das 12 empresas brasileiras selecionadas pela Samsung para participar da segunda edição do Programa de Promoção da Economia Criativa.

 

Flávio Pascoal Vieira, sócio da empresa e mestre em Engenharia Elétrica pela Universidade de São Paulo (USP) explica que o retinógrafo é um dispositivo oftalmológico que captura imagens do fundo do olho para diagnóstico médico.  “Os aparelhos oftalmológicos têm custo elevado, o que faz com que as pequenas cidades não contem com serviços de oftalmologia. Hoje, 4,7 mil municípios brasileiros não possuem esse tipo de serviço, de acordo com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, o que gera uma demanda grande por exames simples”, explica.

 

“A portabilidade é uma das inovações que a Phelcom apresenta com o SRC. Com o retinógrafo portátil, é possível realizar exames em comunidades mais remotas ou carentes, que têm acesso limitado a esse tipo de exame”, enfatiza Vieira. A tecnologia desenvolvida pela startup é portátil e poder ser acoplada a smartphones, gerando imagens panorâmicas automáticas de alta resolução da retina.

 

“Trata-se de uma inovação segura para o paciente. As funcionalidades básicas do equipamento foram comprovadas por meio da aquisição de imagens da retina de um simulador de olho humano. É uma tecnologia indicada para o uso, por exemplo, em crianças, acamados e pessoas com mobilidade reduzida, que também pode ser adotada por profissionais com limitada capacidade de investimento ou espaço físico reduzido em suas clínicas”, ressalta.

 

Apoio do Programa de Promoção da Economia Criativa Samsung-Anprotec

 

Com a participação no Programa de Promoção da Economia Criativa da Samsung-Anprotec, a Phelcom recebeu aporte de R$ 200 mil, além de suporte técnico de profissionais da Samsung e acesso a mentores de mercado para o aprimoramento da tecnologia. “Para cada caso, as contrapartidas foram negociadas com a Samsung de acordo com as oportunidades que despertaram interesse na multinacional”, explica Vieira. O programa é uma parceria com a Anprotec (Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores) e CCEI (Centro Coreano de Economia Criativa e Inovação).

 

Além do aporte recebido, a startup também recebe apoio da Supera Incubadora de Empresas de Base Tecnológica, integrante do programa. “O objetivo é incentivar a cultura do empreendedorismo inovador e a geração de negócios de alto impacto. A empresa tem acesso à estrutura física da incubadora e recebe apoio para o desenvolvimento de seu negócio, mentorias e treinamentos baseados no Modelo Coreano de Cultura de Economia Criativa, desenvolvido pelo CCEI”, explica Saulo Rodrigues, gerente da Supera Incubadora.

 

Supera Parque

 

O Supera Parque de Inovação e Tecnologia de Ribeirão Preto é resultado de uma parceria entre Fipase, USP, Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto e Secretaria de Desenvolvimento do Estado de São Paulo. Instalado no Campus da USP local.o Parque abriga a Supera Incubadora de Empresas, o Supera Centro de Tecnologia, a associação do Arranjo Produtivo Local (APL) da Saúde, o Polo Industrial de Software (PISO), além do Supera Centro de Negócios.

 

Ao todo, são 59 empresas instaladas no Parque: 40 delas na Supera Incubadora de Empresas de Base Tecnológica; 14 empreendimentos no Centro de Negócios e, cinco, na aceleradora SEVNA Seed.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *